INTRODUÇÃO ÀS CRIPTOMOEDAS

fonte imagem: https://fanart.tv/movie/292607/the-rise-and-rise-of-bitcoin/

Você pode ter ouvido falar do Bitcoin, certo? (Se não, bem-vindo ao mundo digital, 2020!) De fato, o Bitcoin é apenas uma das mais de 3.000 criptomoedas disponíveis. Essa é a velha confusão sobre a Bombril: o reconhecimento da marca é tão grande que acaba sendo confundido com os produtos oferecidos (neste caso, lã de aço). Além disso, existem outras criptomoedas conhecidas, como Ethereum, ZCash, NEO e XEM.

O que é bitcoin ?

Bitcoin (BTC ou XBT) é uma criptomoeda descentralizada. Em outras palavras, é uma moeda, como o real ou o dólar, mas não é regulamentada por nenhum banco do mundo. Por exemplo, no Brasil, temos um banco central (Bacen) para supervisionar e supervisionar todo o sistema financeiro nacional e garantir sua solidez e eficiência. No entanto, no que diz respeito ao Bitcoin, o banco central não tem o direito de influenciar as flutuações da moeda, nem emitir mais unidades ou intervir no processo de inflação.
Portanto, as criptomoedas são universais e circulam em todos os países sem qualquer forma de regulamentação ou intervenção estatal. Como uma criptomoeda, podemos entender que o Bitcoin é virtual. Em outras palavras, ele não existe fisicamente. Todo o processo de distribuição ou mineração, neste caso é feito online, usando um supercomputador. Em 2017, as moedas virtuais começaram a migrar para os mercados financeiros tradicionais. Em seguida, começou a ser oferecido no mercado futuro da Bolsa de Chicago, nos Estados Unidos.

Para comprar ou vender BTC, os usuários podem minerar ou comprar moedas que foram extraídas de outros proprietários. Atualmente, ainda é possível comprar através de corretores especializados em negociação de criptomoedas. Outra curiosidade é que, de acordo com o contrato, a moeda será limitada a 21 milhões de unidades e esse número está se aproximando da realização. Essa medida visa “controlar” o processo de inflação natural da indústria de mineração de alguma forma. Estima-se que o último bitcoin será extraído em 2140 e, quando o limite for atingido, não está claro como o valor da criptomoeda será alterado.

Quem foi o criador do Bitcoin ?

O BTC foi introduzido em 2008 em uma lista de correspondência de criptomoedas chamada The Cryptography Mailing. A publicação foi escrita por Satoshi Nakamoto por um ou um grupo de programadores. Até hoje, a verdadeira identidade do criador da primeira moeda digital descentralizada do mundo não é clara. Além do próprio BTC, “Satoshi Nakamoto” não foi encontrado ou mencionado. Antes de “desaparecer completamente”, Satoshi Nakamoto era um membro ativo do fórum BitcoinTalk. A pessoa (ou grupo de pessoas) por trás do pseudônimo é responsável pela maioria dos protocolos que criaram o sistema.

Segundo o autor Joshua Davis em sua coluna “New Yorker”, em abril de 2011, Satoshi Nakamoto anunciou que “continuaria se envolvendo em coisas novas”. Desde então, não há notícias sobre os criadores de Bitcoin. O BTC foi formalmente estabelecido em 2009 e recebeu o nome de seu fundador, cujo nome é responsável apenas pela menor proporção de moeda. O “centavo” do Bitcoin (0,00000001 BTC) no valor de um milionésimo é chamado Satoshi. Portanto, o Bitcoin é equivalente a 100 milhões de Satoshis.

Como funciona o Bitcoin ?

O mercado tradicional de investimentos funciona de uma forma relativamente fácil de entender. Nele, o investidor compra um ativo com o objetivo de que o remunere ao longo do tempo, ou que possa ser vendido, futuramente, com lucro. Já no mercado cambial (de moedas), o especulador ganha ou perde dinheiro através da variação de sua cotação. Assim, se uma pessoa compra 1 dólar hoje a 4 reais e, no dia seguinte, a moeda americana vale R$ 4,25, o especulador pode vender seu dólar e faturar 25 centavos na transação. Com o Bitcoin, acontece algo semelhante. O investidor compra uma fração do BTC e pode renegociar a criptomoeda quando desejar. Qualquer pessoa pode comprar ou vender um BTC sem utilizar intermediários ou pagar taxas.

E isso só acontece porque a criptomoeda, como vimos, não tem regulação de estados, instituições ou outros bancos. Diferentemente do sistema bancário tradicional, todas as operações de todos os usuários são públicas e anônimas. Assim, por intermédio de um complexo sistema de dados chamado blockchain, as movimentações de Bitcoin são publicadas em tempo praticamente real. Na sua forma mais primária, o BTC funciona com usuários comprando e vendendo suas criptomoedas, online e sem intermediação. E, antes mesmo de as moedas irem a mercado para serem comercializadas, elas devem ser mineradas. O processo de extração da criptomoeda é realizado pelos próprios usuários do sistema. Os mineradores que primeiro resolverem a questão são bonificados com uma parte da Bitcoin minerada. Eles podem manter o valor em sua carteira digital ou transacionar a moeda. Evidentemente, os riscos das transações diretas de Bitcoin são altos e é necessário entender bem o seu funcionamento. No entanto, o modelo tem rentabilidade maior do que as operações realizadas através de corretoras e outros intermediários, que cobram taxas pela operação.

Cotação do Bitcoin hoje (21/05/2020)
Hoje 1 BTC equivale a 52.500,35 reais.

Fonte: Google.com

Quais as vantagens do Bitcoin ?

O Bitcoin é a primeira criptomoeda descentralizada. Sua fama em todo o mundo não se dá somente pelo pioneirismo, mas, também, pelas vantagens que oferece aos seus compradores. Uma delas é o fato de ter sofrido altíssima valorização no ano em que foi lançado, em 2009. Inicialmente, a moeda virtual era negociada em maior volume em obscuros mercados da web. Somente entre 2011 e 2012, o preço da unidade de Bitcoin variou de 30 centavos de dólar para 31,50 dólares por Bitcoin. Atualmente, o BTC é cotado em valores superiores a R$ 30 mil, mas já alcançou mais de R$ 40 mil em 2018. O crescimento vertiginoso é um grande atrativo para os investidores. Ao mesmo tempo, o Bitcoin foi desenvolvido para não gerar inflação e consequente perda de valor. Nakamoto elaborou uma política de mineração que limita o valor máximo de BTC em circulação, tanto no valor total, quanto na extração da moeda em si. Ou seja, caso não houvesse autorregulação do sistema, quanto mais ele fosse minerado, mais moedas seriam emitidas e menos valor de mercado elas teriam. Com essa maneira para minerar, a moeda virtual promete manter seu valor por mais tempo, evitando corrosões. Apesar de ser um mercado monetário ainda muito novo e com várias incertezas, essa vantagem torna o Bitcoin uma moeda interessante para investimento.

Além desses benefícios, podemos citar:

Anonimato nas transações ☑
Moeda altamente fracionável ☑
Mercado livre ☑
Dificuldade de falsificação ☑

Bitcoin é seguro ?

Sim, com certeza é a moeda mais segura atualmente, pois não esta sujeito a nenhum governo, banco ou grupos de burocratas ladrões. O BTC tem um grande aliado em segurança: a criptografia. Através de complexos processos do blockchain, todas as operações são registradas de maneira definitiva e segura.

Nos próximos artigos irei ensinar como obter bitcoins e como investir em bitcoins, continue acompanhando o nosso blog para mais informações.

REFERÊNCIAS:

Transformação digital, 25 de outubro de 2017: https://transformacaodigital.com/economia/introducao-criptomoedas/

Fundação Instituto de Administração, 7 de fevereiro de 2020: https://fia.com.br/blog/bitcoin/

RECOMENDAÇÃO LITERÁRIA:

IN CRYPTOGRAPHY WE TRUST !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s